Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C
Logotipo Município de Vila Franca de Xira
pesquisar

Pastores e Agricultores


A apropriação da agricultura e da pastorícia e a criação de excedentes alimentares a partir do Neolítico levaram à constituição de comunidades que ocuparam as elevações sobranceiras ao Tejo e outras bacias hidrográficas como os vales de Vialonga, Calhandriz e S. João dos Montes. Guardando o grão no celeiro comum e defendendo colectivamente os meios de subsistência, estas comunidades criaram os seus pequenos mundos em torno das aldeias.
 
No segundo milénio a.C., o domínio da metalurgia (Bronze e Ferro) revolucionou o mundo. As populações sentiram necessidades de protecção, edificando povoados fortificados no cimo dos montes.
 
Vila Franca de Xira teve ocupção durante o Neolítico final e calcolítico. Os abrigos naturais – grutas da Pedra Furada atestam os enterramentos colectivos desses homens. Foram encontrados alguns materiais de contexto funerário Como exemplo: algumas contas de cerâmica, restos de um vaso e uma taça campaniformes, um coelhinho em osso, objecto votivo ou mágico ligado provavelmente ao culto da fertilidade.
 
A cultura campaniforme está também representada noutros locais elevados da região como o Alto do Pinheiro no Sobralinho e a gruta artificial da Verdelha do Ruivo em Vialonga onde foram detectados 44 enterramentos do Calcolítico. Esta constituía em conjunto com um Dólmen e um silo, uma zona habitacional e de enterramentos dessa Cultura.
 
Nos montes sobranceiros a Vialonga em Monte Serves existem vestígios duma anta e um Dólmen chamado do Penedo constituindo assim marcas do megalitismo na zona.
 
A cultura campaniforme está também representada noutros locais elevados da região como o Alto do Pinheiro no Sobralinho e a gruta artificial da Verdelha do Ruivo em Vialonga onde foram detectados 44 enterramentos do Calcolítico. Destruída em parte pela pedreira do Casal do Penedo, constituía em conjunto com um Dólmen e um silo, uma zona habitacional e de enterramentos desta Cultura.
 
No 1.º milénio a.C., em plena Idade do Ferro, existiu na Castanheira do Ribatejo o povoado fortificado do Monte dos Castelinhos, em localização estratégica na passagem da lezíria para o interior, através da várzea do Rio Grande da Pipa. Próximo, embora já fora da área do actual concelho de Vila Franca, localizava-se o Castro do Amaral, a noroeste de Cadafais. Seriam estas sociedades guerreiras que defrontariam, alguns séculos mais tarde, os conquistadores romanos.